domingo, 14 de fevereiro de 2016

“Mais um momento em Pedal Feminino “Equipas femininas”

Texto: José Morais
Fotos Arquivo Notícias do Pedal
Hoje atualizamos o nosso espaço de “Pedal Feminino”, com algumas equipas femininas, deixamos aqui as imagens e o exemplo, de que o ciclismo não é apenas para homens, mas sim também para mulheres, e os momentos aqui ficam, são eles: Seleção Portuguesa Feminina, Seleção Feminina Inglesa, Equipa Feminina Colombiana da IDRD, Equipa de Ciclismo Feminina Francesa Epinay Sur Seine, Equipa Brutas do Pedal Brasil, Equipa Feminina do ACD Milharado, Equipa Feminina Albufeira 2015, Equipa Cicloturismo As Meninas do Pedal de Figueira/Portimão, e um grupo de Mulheres a Pedalar em Tandem.

 
 
 
 
 

“Especial Mulheres/Força de vencer”

“Anabela Pereira/Antes e depois - O testemunho em Pedal Feminino ”
Eu não ando a competir com minguem a não ser comigo própria a um ano e meio tomava todos os dias medicação para a hipertensão e para o coração sim e verdade e tive alguns sustos ate que a vida mudou descobrir uma paixão a bicicleta mais especificamente a btt k hoje em dia e o meu oxigénio, deste ultimo ano perdi 12 kilos e ganhei qualidade de vida, posso agradecer muito ao meu marido por estar sempre ao meu lado e ter estado e por manter se sempre na luta comigo e por me ter metido o bichinho da bike, Vitor Manuel.
Determinação, força de vontade e espirito de sacrifício e tudo o que precisas e acreditar em ti.

 

“Especial Mulhres/ “Penny ou calças: todas as mulheres podem andar de bicla”

Por: Mariana Correia Pinto
Amigas encontraram uma solução simples para que as saias ou vestidos sejam uma roupa perfeita para andar de bicicleta. Campanha de crowdfunding vai arrecadar fundos para equipa de ciclismo feminina do Afeganistão   
Andar de bicicleta com um vestido ou uma saia era um problema para Johanna Holtan, uma amante do veículo de duas horas que volta e meia se sentia demasiado “exposta” — ora por causa do vento, ora nas entradas e saídas da bicicleta. Foi com esta problemática na cabeça que, juntamente com as amigas, teve uma ideia: com uma moeda e um elástico, transformar a roupa feminina perfeita para andar de bicicleta.

“Nós adoramos bicicletas. Nós adoramos saias. Mas às vezes elas não combinam bem. Foi por isso que tivemos a ideia do Penny in Yo’ Pants, uma solução simples para transformar a saia numa roupa própria para andar de bicicleta”, explicam as criadoras da ideia no site.
Johanna Holtan está a preparar um novo modelo de Penny in Yo' Pants para “evitar que o tecido da roupa fique enrugado, como acontece quando se usa a moeda”, e para que seja “ainda mais fácil andar de bicicleta com saia”. O produto vai ser lançado em breve, através de uma campanha de crowdfunding, no Kickstarter.
Veja ainda o vídeo em: http://pennyinyourpants.co.uk/
 

“No Afeganistão há mulheres a desafiar a lei”

É aqui que entra a parte mais séria do projecto: o dinheiro arrecadado com a venda dessa criação vai ser utilizado para ajudar a equipa de ciclismo do Afeganistão, que tem desafiado as leis do país com uma equipa de dez mulheres a treinar para os Jogos Olímpicos de 2020.
“Estamos felizes por doar os rendimentos de todas as nossas vendas à equipa de ciclismo feminino do Afeganistão para que elas os utilizem nas suas bicicletas, façam história e, melhor ainda, se transformem em modelos para mulheres de todo o país e do mundo”, lê-se no site.
No Afeganistão, o ciclismo é considerado um desporto inapropriado para mulheres. Por isso, falar de ciclismo feminino transformou-se numa espécie de metáfora da liberdade das mulheres afegãs: “Para nós, a bicicleta é um símbolo de liberdade”, disse ao site Hindustan Times Marjan Sidiqqi, que integra a equipa.
“Nós não andamos de bicicleta para estabelecer uma posição política. Andamos porque queremos, porque gostamos e porque se os nossos irmãos podem nós também podemos”, explica.
A ideia de Johanna e das amigas foi concedida durante o Cyclehack deste ano, em Glasgow, um evento que desafia pessoas a desenvolver ideias que derrubem barreiras do ciclismo em 48 horas.
Fonte: Público on-line

“Especial Mulheres / “Uma Senhora chamada “Isilda Barradas”

Texto: José Morais
Fotos: Arquivo Notícias do Pedal
“Especial Mulheres”, é um dos temas deste espaço, e começamos por falar de uma grande Senhora, vamos há história.  
Já faz alguns anos que encontrei pela primeira vez, uma Senhora de nome “Isilda Barradas”, foi num passeio de Campo de Ourique. Tinha sido a sua primeira vez a pedalar num passeio de cicloturismo, um passeio realizado pela capital, mas onde existiram alguns pontos de maior dificuldade, conseguiu superar, e no final foi uma das minhas entrevistadas para uma das Revistas onde eu escrevia na altura.
Foi talvez um trampolim nesse momento, para que fosse mais uma grande adepta da modalidade, e a realidade é que a Isilda continua a pedalar em força, e tem participando ao longo destes anos em muito eventos, e alguns já com um número considerado de quilómetros.
Passado alguns anos, “Isilda Barradas” foi capa de mais um dos meus artigos, e desta vez esteve na primeira pagina do Jornal de Ciclismo, apesar da foto parecer antiga, é apenas uma ilusão, a mesma foi feita no dia 5 de outubro de 2014 no passeio da CGTP, e está publicada no Jornal de Ciclismo, podem visualizar a mesma em: http://jornalciclismo.com/?p=37378   
E para quem não sabe, se a bicicleta é uma das suas paixões, o atletismo é outra, e também participa regularmente em corridas, a sua idade jovem em nada impede de praticar desporto, e são exemplos como este que temos de mostrar, por isso aqui ficam alguns momentos da “Isilda” que abriu este nosso espaço do “Pedal Feminino” em “Especial Mulheres, força Isilda…

 

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

“A foto diz tudo…”


Texto: José Morais
Foto: Arquivo Notícias do Pedal
Uma foto muitas vezes diz mais que mil palavras, Pedal Feminino apresenta uma imagem no nosso capítulo “Força de Mulher”.

“Acessórios para mulher pedalarem”

A Mulher, a Bicicleta, os Acessórios
Texto: José Morais
Fotos: Arquivo Notícias do Pedal
Cada vez mais vimos o sexo feminino a pedalar, seja em eventos, em simples passeios urbanos, ou no dia-a-dia, quando o fazem na prática mais desportiva, usam os tradicionais equipamentos de ciclista, como qualquer homem, mas de modelo feminino, mas no dia-a-dia as coisas mudam, e já existe no mercado coisas atrativas, onde a mulher pode usar diariamente algo sem dúvida muito interessante, e aqui ficam alguns acessórios, que podem satisfazer qualquer mulher, aqui podem ver sapatos especiais, botas, ou um capacete muito original.

“A bicicleta como símbolo da emancipação feminina ao logo dos tempos”


Texto: José Morais
Fotos: Arquivo Notícias do Pedal
Para quem pensa que a utilização da bicicleta por parte da mulher é recente, está muito enganado, a mesma já tem alguns séculos, apesar de depois ter havido uma menos utilização da mesma, e nos últimos anos, a mesma começou a ter mais expressão.
A transformação do vestuário feminino foi desencadeada pelo processo de modernização que transformou as cidades e a vida de seus habitantes. A urbanização dos centros urbanos foi simultânea ao surgimento de novos meios de transportes que transformaram os modos de vida e a cultura citadina nas metrópoles do século XIX.
A bicicleta desencadeou uma série de mudanças para a cultura feminina por ser um meio de transporte moderno e sem tradições vinculadas aos gêneros e papéis sociais. A prática do ciclismo trouxe mais uma importante emancipação, a mudança do vestuário feminino. Para que as mulheres pudessem pedalar seria necessário o uso de um vestuário simplificado e confortável. A primeira modificação iniciou-se pelo corpete, as adeptas do transporte trocaram o espartilho pelo Spencer (uma adaptação do casaco masculino para o vestuário feminino). Em seguida, abandonaram as anquinhas e adotaram as saias calças.
Nos anos entre 1882 e 1884 as ciclistas passaram a adotar uma nova roupa para praticar o desporto ou simplesmente transitar nos centros urbanos. As mulheres passaram a adotar uma calça mais curta denominada, nos Estados Unidos, de Bloomer e, na Inglaterra, de Knickerbockers.  A calça Bloomer foi Lançada em 1850 por Amelia Bloomer para dar liberdade de movimento às mulheres, sendo uma das reformas mais importantes na história do vestuário feminino, esta peça foi responsável por pensar a diferença entre gêneros presente na moda até o século XIX que legislava o uso de calças para homens e saias para mulheres.

Para Walter Benjamin a bicicleta foi um símbolo da emancipação feminina, a bicicleta propiciou não só a reforma do vestuário feminino como mudou definitivamente as atitudes sociais em relação às estas peças, o uso da roupa desportiva marca o momento da concepção do vestuário moderno. O uso da roupa bifurcada permitiu as mulheres liberdade em seus movimentos e deslocamentos no espaço público.
Hoje em dia é totalmente diferente, existe moda apelativa, e a mulher veste de maneira diferente, utilizando a bicicleta de outra forma, e aqui ficam alguns exemplos.

domingo, 7 de fevereiro de 2016

“O novo projeto da Revista Notícias do Pedal/ Pedal Feminino está de volta”


“Pedal Feminino”
Depois de algum tempo com este projeto um pouco parado, e depois do nosso espaço estar anteriormente alojado em http://pfeminino.bloguedesporto.com/ o qual por motivos alheios o mesmo ter encerrado sem nos darem qualquer justificação, conseguimos recuperar tudo o que tínhamos publicado, e passamos a ter a partir de hoje um novo alojamento em: http://opedalfeminino.blogspot.com/ , o qual esperamos que seja do vosso agrado, em especial a todas as mulheres, espaço que lhes é dedicado.
Este é suplemento da Revista Notícias do Pedal Pedal Feminino, apesar de já existir alguns anos, tem sido um projeto que tem estado um pouco apagado, e que queremos a partir de agora que o mesmo comece a ter mais expressão.
Este espaço foi pensado na divulgação feminina, ou seja, tudo que tenha a ver com a mulher e a bicicleta, é um especialmente dedicado ao sexo feminino, o qual cada vez começa a ter mais participantes nos eventos, e não só, cada vez se veem mais a pedalar, não apenas nos passeios, mas no dia-a-dia por esse país fora.
Como já tinha referido, o “Pedal Feminino” já existe alguns anos, e a partir de hoje aparece num novo espaço totalmente remodelado, e com um toque mais feminino, vai servir para colocar fotos femininas que iremos captando nos passeios que participamos por esse país fora, e ainda outras que tenhamos em arquivo, que tem sempre a ver com sexo feminino, onde haverá espaço também para alguma animação, e ainda, com objetos específicos para a mulher andar de bicicleta.

Neste espaço queremos alguns tópicos interessantes como As Mulheres nos Passeios”, “Animação da Mulher com a Bicicleta”, “A Mulher, a Bicicleta, os Acessórios”, “Especial Mulheres”, “Apanhados e Momentos Especiais”, “Divulgação de Passeios Femininos” e tudo que seja de interesse no feminino.
Mas este espaço, não é apenas para só para as nossas fotos, as nossa reportagens, estando também aberto para todas e todos, que queiram colaborar com o mesmo, e façam chegar até nós fotos femininas, sejam elas a pedalar, ou que tenham a ver sempre com a bicicleta.
O desafio aqui fica, e este espaço agora remodelado, esperamos que seja do agrado de todos, ficamos a aguardar o vosso feedback, o relançamento hoje feito da nova imagem, apenas terá hoje este artigo de divulgação e relançamento, em breve será resposto todos os textos e fotos do antigo espaço, não queremos perder momentos especiais, e vamos a partir de agora a publicar regularmente muitas notícias.
Divulguem o nosso novo espaço em: http://opedalfeminino.blogspot.com/   façam ainda a sua subscrição na nossa “Newsletter” e receba assim que forem publicadas novas notícias imediatamente, em primeira mão na vossa caixa de correio.
Boas leituras.
José Morais (diretor)